Resumo de notícias - Principais notícias publicadas nos jornais e sites


A partir de hoje (18/06), os leitores do Blog Polícia PELA ORDEM poderão acompanhar um resumo das principais notícias que circulam nos jornais e sites.

Caso queira ler a matéria na íntegra basta clicar no link da notícia.

Boa leitura!!








CONFIRA AS PRINCIPAIS NOTÍCIAS DE HOJE (18/06/2018)

Jornal Estado de Minas:


1. Belo Horizonte registra aumento dos furtos de celulares em 2018
Somente entre janeiro e março último, a média foi de 55,8 ocorrências desse tipo por dia, 27% a mais que no mesmo período do ano passado. Os roubos – casos em que o bem é retirado com uso de violência – tiveram queda no primeiro trimestre (veja gráficos), mas mesmo assim a média não é muito diferente: foram 55,3 casos diários no período. A temporada de festas juninas, quando há grande aglomeração de pessoas, e eventos com transmissão de jogos do Mundial da Rússia criam o ambiente ideal para que esses números se mantenham em alta.
No primeiro trimestre de 2018 foram 5.022 casos, contra 3.953 do mesmo período do ano passado. A diferença é ainda maior em comparação com 2016, quando foram 3.205 ocorrências. Em Minas Gerais também há aumento do delito: foram 14.541 ocorrências até março deste ano, contra 14.122 no três primeiros meses de 2017.
Apesar de o número de roubos de aparelhos estar em queda, na capital e no estado como um todo, o conjunto de crimes ainda é alto. Sempre considerando o período janeiro/março, neste ano foram 4.977 casos, menos que os 6.663 de 2017. Em Minas ocorreram 12.921 roubos no período, contra 17.886 na mesma época do ano passado.

CLIQUE AQUI PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA


2. Linha de cerol enrosca em helicóptero dos Bombeiros; conserto custará mais de R$ 140 mil
Uma prosaica linha com cerol causou um prejuízo superior a R$ 135 mil e deixou fora de combate por tempo indeterminado uma das mais importantes máquinas do Corpo de Bombeiros de Minas. O helicóptero Arcanjo 4 pousava no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, quando o material cortante se enroscou no rotor do aparelho. Ninguém ficou ferido no incidente.
ARCANJO 4 - O helicóptero modelo EC-145 reforça desde 2015 a frota do Corpo de Bombeiros de Minas, até então formada por dois helicópteros Esquilo e um avião Cessna. É responsável pelo transporte de pacientes acidentados ou em tratamento, buscas e salvamentos, além de transporte de órgãos para transplantes. O aparelho adquirido por R$ 34 milhões tem capacidade para transportar até duas vítimas graves, permitindo manobras médicas, devido ao fato de a cabine ser espaçosa. Em seu interior há uma pequena UTI aérea, com equipamentos de última geração, incluindo incubadora com respirador para recém-nascidos. Apenas no primeiro mês de operação, a aeronave salvou 23 pessoas.
CLIQUE AQUI PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA



Jornal O Tempo 

1. Aniversário de cinco anos de manifestações mostra que insatisfação popular continua
Os protestos que levaram milhares de pessoas às ruas em junho de 2013 completam cinco anos neste mês. O aniversário daquela jornada foi precedido por uma greve de caminhoneiros que parou o país e trouxe à tona o sentimento daquele período: a descrença na política e nos políticos que estão no poder. 
As manifestações que foram iniciadas pelo Movimento Passe Livre (MPL), em São Paulo, contra o aumento de R$ 0,20 na passagem do transporte coletivo, se transformaram, com o passar dos dias, em grandes atos agendados pelas redes sociais em todo o país, com pautas difusas e a presença de diversos movimentos sociais e sindicais e partidos políticos com ideologias diferentes. 
Embora as pautas fossem muitas – do preço da passagem do transporte coletivo ao fim da corrupção –, talvez o que unisse todas as vozes fosse a insatisfação com a classe política e como ela estava conduzindo o país. O que as pessoas na ruas interpretavam como uma indiferença dos representantes eleitos com as demandas da população. 

2. Transtorno psicológico afasta um a cada três policiais em MG

Na Polícia Civil, 33% ficam de licença por problemas emocionais; entre PMs, índice é de 25%

Cerca de 25% dos policiais militares são afastados do trabalho por problemas psicológicos, segundo a Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspra-MG). Entre os policiais civis, o índice é ainda maior: 33%, de acordo com o Sindicato dos Policiais Civis de Minas Gerais (Sindpol). Isso significa que, em média, um a cada três agentes fica de licença médica por causa de transtornos decorrentes da profissão – as corporações não divulgam dados sobre o assunto sob a justificativa de não expor a vida íntima dos servidores.
Para especialistas, os policiais civis e militares estão mais expostos a fatores que levam ao sofrimento mental, como o risco de morte e o fato de andarem armados mesmo quando estão de folga, para protegerem a si mesmos e suas famílias.
Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 76% dos policiais já foram vítimas de ameaças em decorrência da profissão e 70% tiveram colegas mortos em serviço. “O atendimento de um policial em uma noite é assustador. Ele fica exposto a situações estressantes, toma decisões difíceis”, analisou o professor titular da Unicamp e especialista em psicologia do trabalho Roberto Heloani. Ele diz que os policiais convivem ainda com a percepção de que a população sente medo e repulsa deles.
Riscos. O agravante é que esses profissionais trabalham com arma na mão, o que potencializa o risco de cometerem violência contra eles mesmos e os outros. Só nos últimos dois meses, Minas registrou ao menos cinco casos do tipo: em abril, um PM matou a ex-companheira e sequestrou a filha em Santos Dumont, na Zona da Mata. Em maio, foram três ocorrências na região metropolitana – um policial civil matou uma mulher e duas filhas dela em Santa Luzia; um militar se matou e atingiu a companheira, em Betim, e um escrivão da Polícia Civil matou uma mulher dentro da Câmara de Contagem. Já no último dia 9, um investigador da corporação assassinou a companheira e se matou em São Joaquim de Bicas. 
Segundo o especialista em segurança pública Jorge Tassi, uma pesquisa da Universidade Estadual do Rio de Janeiro aponta que o índice de suicídio de policiais é sete vezes superior ao da população geral. De acordo com ele, a desagregação familiar é uma marca entre os profissionais. “O policial vive sob constante risco, precisa fazer bico, tem problema dentro de casa, não vê a mulher e os filhos. O nível de divórcio é alto”, destacou.
Para Tassi, o profissional passa por teste psicológico para ingressar na corporação, mas as condições mudam ao longo da carreira: “Ele entra em um processo de turbilhão, toma remédio, usa droga, se mata”. 
A Polícia Civil informou que oferece plano de saúde, atendimento exclusivo e especializado em hospital da corporação e centro de psicologia. A PM garantiu que faz exames periódicos e que tem um sistema de saúde capaz de atender bem o policial e suas famílias.
CLIQUE AQUI PARA LER A MATÉRIA NA ÍNTEGRA

JORNAL HOJE EM DIA


A Polícia Civil abriu inquérito para investigar os ataques a 26 veículos em Uberlândia e Uberaba, no Triângulo Mineiro, e em Monte Carmelo, no Alto Paranaíba. Os fatos ocorreram entre a noite de quinta-feira (14) e a madrugada desta sexta-feira (15).
Segundo a corporação, a princípio, os crimes não têm qualquer ligação entre si ou com a ação de organizações criminosas, como o Primeiro Comando da Capital (PCC).
Na cidade de Monte Carmelo, o incêndio atingiu 14 veículos de passeio, uma carreta e dois caminhões dentro de um pátio de recolhimento de automóveis. O Corpo de Bombeiros de Araguari foi acionado para controlar o fogo.  
Em Uberaba, por volta das 23h, um homem acionou a polícia após o veículo dele ser queimado na porta de casa. Os vizinhos ajudaram a apagar o fogo, mas o carro ficou bastante danificado. Um frasco que teria sido usado para armazenar líquido inflamável foi encontrado próximo ao local.
Já em Uberlândia, durante a madrugada, oito veículos foram queimados em um ferro-velho do bairro Presidente Roosevelt. 
Rosiane Cunha