Resumo da Audiência Pública sobre a situação do IPSM

Aconteceu na tarde dessa segunda-feira (20/11), uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), que discutiu a situação de repasse de verbas pelo Governo ao Instituto de Previdência dos Servidores Militares (IPSM).

Foi discutido a grave situação em que passa o IPSM, que está atrasando o repasse para as instituições de saúde credenciadas, que atendem, principalmente, os militares e seus dependentes no interior do Estado. O motivo do atraso seria a falta de repasse da contribuição patronal devida pelo Governo do Estado ao Instituto.

Segundo informações do Deputado Sgt Rodrigues no acumulado dos últimos anos deixaram de ser repassados 480 milhões aos cofres do IPSM, somente de contribuição dos segurados. Destacou o parlamentar que é necessário que as Entidades de Classe promovam ações judicias em face do Governador do Estado, pois que são legitimadas para isso.

Segundo o Deputado Federal Sub Ten Gonzaga, há um risco de perdemos essa conquista histórica que é o IPSM. O atraso no repasse tem causado a queda do atendimento à saúde, principalmente para os militares e dependentes do interior do Estado. Com redução drástica dos serviços prestados aos segurados. O Parlamentar cobrou a participação efetiva de todos na luta a favor das lutas da classe.

Quanto ao PROMORAR, segunda informou o vereador Cabo Zanola, as mensalidades pagas pelos militares que utilizaram o crédito do Programa não são repassados ao IPSM para a continuidade dos financiamentos habitacionais.

O Cel Russo, presidente da AMEM, propôs a união das Associações para a judicialização de ações contra o Governador do Estado.

O Sgt Walter, presidente da CUME, alertou para uma tomada de decisão efetiva e imediata dos representantes, para que essa Audiência Pública não seja apenas mais uma.

O Dr. Berlinque Cantelmo, assessor jurídico da APNM, alertou aos parlamentares quanto a necessidade de mudança legislativa para que o Conselho de Administração do IPSM não seja escolhido pelo Governador do Estado. Ressaltou ainda que as Praças precisam ter autonomia na escolha do Conselho, bem como nas ações de gestão do Instituto.

O Cel Machado sugeriu uma Ação Judicial subscrita por todos os parlamentares e presidentes de entidades de classe contra a falta de repasse da contribuição patronal do Governo ao IPSM.

O Deputado Cabo Júlio encerrou a Audiência Pública falando  da necessidade de participação de todos os militares da ativa e inativos na defesa de nossos direitos e especialmente do IPSM, pois afeta a todos, inclusive nossos familiares, pois se trata de nosso sistema de saúde e previdência.


Estiveram presentes os presidentes de várias entidades de classe, como AMEM, APNM, APROSCOM, ASCOBOM, ASPRA, CSCS, CUME, ISCRAT, vereadores do interior do Estado (Sgt Flávio de Formiga, Sgt Melo de Juiz de Fora e Cabo Zanola de Uberlândia) e aproximadamente 60 militares, mais uma vez, a maioria de inativos.


1 COMENTE AQUI !:

Sera que estará acontecendo o mesmo com IPSEMG?

Balas

O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon