Perda salarial chega a 49,43% do salário dos servidores da segurança pública no acumulado de 2011 a 2016

Sem reajuste de salários desde 2015, quando foi concedido o último aumento salarial para a categoria (15% em abril), os servidores da segurança pública já amargam uma perda salarial, no acumulado de janeiro de 2011 a dezembro de 2016, de 49,43%, segundo cálculos realizados pelo Blog Polícia PELA ORDEM, considerando os dados fornecidos no site Uol Economias.

 
Só no período em que o último aumento foi concedido, ou seja, de outubro de 2011 a abril de 2015, a perda salarial medida pela inflação (considerando o IPCA), foi de 26,54%. O Índice nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é o indicador oficial do Governo Federal parar medir a inflação no País.

No ano de 2016 foi aprovado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) o reajuste salarial dos vencimentos dos servidores do Ministério Público, do Poder Judiciário e do Poder Legislativo, de 5%, 6,28% e 9,39%, respectivamente. Todos tiveram o reajuste abaixo da inflação no acumulado para o período, que foi de 10,67%.

Os únicos servidores do Poder Executivo que tiveram o reajuste de salário no ano de 2016 foram os servidores da educação, que diga-se de passagem foi merecido. Temos que valorizar a educação no nosso país e a valorização salarial é o primeiro passo.

Devido a crise em que passa o Estado de Minas Gerais, o Governo já sinalizou que não haverá reajuste salarial para os servidores da segurança pública nos anos de 2017 e 2018, podendo a perda do poder de compra chegar a quase 60% no acumulado de 2011 a 2018. O que nos leva a concluir que tivemos um reajuste real de pouco mais de 30% nos últimos 6 anos. 

Porém, o prejuízo ao bolso dos servidores pode ser ainda pior, devido o parcelamento de salários vários tiveram suas finanças pessoais desorganizadas, o que culminou em pagamento de juros a bancos e empresas de cartões de crédito, diminuindo ainda mais o poder de compra e endividamento dos servidores, já que o parcelamento dos salário sequer pode ser planejado.

Cabe ressaltar que completamos agora em janeiro de 2017 um ano de parcelamento de salários, que tem previsão de parcelamento pelo menos até março desse ano, quando será realizado um novo planejamento pelo Governo do Estado junto as categorias dos servidores.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon