Militares do Espírito Santo serão indiciados por "revolta"

Policiais militares do Espírito Santo poderão ser indiciados pela prática do crime de revolta, segundo informou o Comandante Geral da PMESP, em entrevista à Rede Globo na data de ontem (12/02). Ainda, segundo o Comandante todos os que forem condenados a pena superior a 2 anos serão excluídos automaticamente. Além disse, processos administrativos disciplinares serão instaurados para apurar as condutas dos militares que poderão ser excluídos da corporação antes mesmo do processo criminal.  

O motivo seria a participação dos militares em atos de manifestação (greve), que pleiteava o reajuste de salários, que estão entre os menores do Brasil. 

Várias manifestações de apoio aos policiais militares do Espírito Santo estão circulando nas redes sociais, inclusive de parlamentares estaduais e federais.

O movimento reivindicatório dos policiais e bombeiros militares enfraqueceu nesse final de semana, haja vista não possuir mais o apoio de oficiais e do Comando da Instituição.

Nesse domingo foram observadas algumas viaturas circulando nas ruas da Capital Capixaba, assim como a presença de policiais no policiamento à pé em praças e avenidas comerciais.

Apesar da volta gradativa do policiamento no Estado, o Ministro da Defesa Raul Jungmann disse que as forças armadas e a Força Nacional permanecerão por mais algum tempo no patrulhamento ostensivo, até que os cidadãos sintam-se novamente seguros.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon