Alguns dados sobre a realidade da Segurança Pública no Brasil


Os indicadores de Segurança Pública no Brasil não tem sido favoráveis, apresentando índices crescentes em praticamente todas as modalidades delituosas.

Mesmo em período em que o país apresentava um crescimento econômico, inclusive com a diminuição das desigualdades sociais, com maior investimento em direitos sociais, como aconteceu na Região Nordeste (Governo Lula e Dilma), os indicadores não reduziram.

Agora, com o aumento do desemprego e aprofundamento da crise econômica os indicides de criminalidade só vem aumentando, em praticamente todo o Brasil. O Blog Polícia PELA ORDEM fez um levantamento sobre os principais indicadores nos últimos anos, confira:

Em 2014, foram registradas 58.497 (cinquenta e oito mil quatrocentos e noventa e sete) mortes violentas no Brasil, com uma taxa de 28,8 mortes para cada 100 mil habitantes. A quantidade de mortes no ano de 2014 se equipara a quantidade de americanos mortos em toda a Guerra do Vietnã. 

Quanto aos crimes contra o patrimônio em 2014 contabilizamos 122.751 (cento e vinte e dois mil setecentos e cinquenta e um) crimes registrados (FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA, 2015). 

Já, em 2015, foram registradas 58.492 (cinquenta e oito mil quatrocentos e noventa e dois) mortes violentas no Brasil, incluindo as vítimas de homicídios dolosos, de latrocínios, lesões corporais seguidas de morte e mortes decorrentes de intervenções policiais. A cada 9 minutos uma pessoa é morta violentamente no país (FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA, 2016). 

Outro fator que tem corroborado para a necessidade de mudança é a baixa confiança da população com os órgãos policiais, além do elevado índice de insatisfação com a polícia e do baixo índice de elucidação dos crimes de homicídio, que variam de 5% a 8%. Este percentual é de 65% nos Estados Unidos, no Reino Unido é de 90% e na França é de 80% (FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA, 2015). 

Outro dado preocupante registrado foi a quantidade de mortes violentas no Brasil nos últimos 5 (cinco) anos, que superou a quantidade de mortes nos últimos 5 (cinco) anos na guerra da Síria, com 279.592 (duzentos e setenta e nove mil quinhentos e noventa e dois), contra 256.124 (duzentos e cinquenta e seis mil cento e vinte quatro), respectivamente (FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA, 2016). 

A taxa de elucidação de homicídios, na média brasileira, é de 5% a 8%, sendo a maioria decorrente de conflitos familiares e prisões em flagrante. O sistema é extremamente ineficiente. Vivemos uma “guerra” cotidiana em que todos estão perdendo. Policiais, cidadãos comuns e infratores estão morrendo. Estamos em uma sociedade extremamente violenta que tem como consequência a banalização da violência, da impunidade e da baixa efetividade dos órgãos policiais em prevenir e reprimir os crimes (LIMA, 2014, 2015). 

Além disso, o gasto das políticas de Segurança Pública no Brasil chega a R$ 76,3 bilhões, o que corresponde a 1,38% do Produto Interno Bruto – PIB (soma de todas as riquezas produzidas no país). Proporcionalmente gastamos o mesmo que outros Países como a Alemanha e Espanha, que contabilizam uma taxa de homicídios inferior a 1 por 100 mil habitantes, enquanto no Brasil essa taxa é de 28,3 por 100 mil habitantes.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon