Ministro da Defesa volta a afirmar que militares não entrarão na reforma da previdência

Raul Jungmann disse que mudança nas regras viria em outro momento.
'Não é justo tratar igualmente quem é desigual', disse o ministro da Defesa.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse nesta terça-feira (22) que os militares brasileiros ficarão de fora do projeto de reforma da Previdência Social, com regras mais duras, que o governo vai apresentar ao Congresso em dezembro.

Segundo o ministro, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) proporá mudanças apenas aos civis. A alteração de regras para as aposentadorias de militares viria em um segundo momento, sem prazo definido, através de um projeto de lei separado, informou Jungmann.

“Nós da Defesa apoiamos a reforma da Previdência. Sendo chamados, daremos a nossa contribuição, mas, no momento, estamos aguardando a finalização do primeiro processo”, disse.

A matéria foi publicada ontem pelo portal G1. 


O Blog Polícia PELA ORDEM já havia anunciado que o Governo tinha se manifestado pela não inclusão dos militares na reforma da previdência, num primeiro momento.

Acompanhe também as duas matérias publicadas pelo Blog Polícia PELA ORDEM sobre o assunto:

Governo confirma que não incluirá os militares na reforma da previdência

Ministro afirma que Militares devem ter previdência diferenciada



O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon