.

.

Apesar da crise, Estado registra superávit

Apesar da crise o Estado de Minas Gerais registrou um superávit primário de R$ 688 milhões no primeiro semestre do ano. É isso mesmo! O Estado arrecadou mais do que gastou nos primeiros seis meses do ano.

Mas isso não foi suficiente para que o Governo voltasse a pagar o salário dos servidores no 5º dia útil e tivesse caixa para garantir o 13º salário.

Mesmo registrando um superávit o Governo não tem conseguido efetuar o pagamento dos salários dos servidores e fornecedores em dia. Desde o início do ano o salário do funcionalismo está parcelado em 3 (três) vezes, agora além do parcelamento os servidores amargam um atraso de uma semana a mais no pagamento da primeira parcela.

Várias medidas tem sido tomadas pelo Estado como o corte de gastos e investimentos e a reforma administrativa, como forma de conter a crise e equilibrar as contas.

"O estado tem que ser enxugado. A máquina pública de Minas Gerais é uma das mais inchadas, mais pesadas dos estados  brasileiros", disse Pimentel na época do anúncio dos cortes em fevereiro. Para o governador, esta é talvez a pior crise financeira de Minas Gerais dos últimos 30 anos. (Fonte G1)

Confira a matéria que foi publicada hoje (11/11), pelo portal de notícias G1 sobre a crise enfrentada pelos estados brasileiros e, a matéria especial do Estado de Minas Gerais:

Raio X da crise nos Estados

Em uma das piores crises, MG ainda não anunciou 13º dos funcionários

 



O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon