Audiência Pública discutirá atraso, reajuste dos salários e 13º dos servidores da segurança pública

Uma Audiência Pública marcada para hoje (19/10) às 15:30h, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), aprovada pelo Deputado Sargento Rodrigues, discutirá o atraso dos salários e a proposta de reajuste salarial com base na perda inflacionaria do último ano, além do pagamento do 13º salário.

Os salários dos servidores públicos estaduais começaram a ser parcelados no começo do ano e agora a primeira parcela que era paga no 5º dia útil, tem previsão de ser paga apenas no dia 14 de novembro, atraso de uma semana.

A preocupação agora é garantir do Governo medidas para que o pagamento dos salários volte a ser no 5º dia útil, como aconteceu em tudo o governo Tucano, além do 13º salário em dezembro.

Quanto a reposição do salário pela perda inflacionária, o Governador Fernando Pimentel já sinalizou em reunião com sindicatos que não terá condições de atender o funcionalismo, haja vista as dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado.

Na semana passada (14/10), o Governador do Distrito Federal Rodrigo Rollemberg do PSB, também afirmou aos servidores daquele Estado que não seria possível conceder reajuste nos salários, alegando que preferiu o pagamento dos salários e do 13º salário em dia, em vez de conceder o reajuste.

Os militares pretendem encher as galerias do Plenário da Assembleia, porém disseram que não aceitarão o uso da palavra com fins eleitorais, haja vista o apoio declarado do Deputado Sargento Rodrigues ao candidato a prefeitura de Belo Horizonte, João Leite.

Em conversa com alguns dos militares que pretendem participar da Audiência Pública, informaram que se o candidato João Leite fizer uso da palavra irão vaiá-lo. “Não podemos aceitar que usem a tropa para fazer politicagem”, informou um deles. Já, outros informaram que “precisamos de todo o apoio possível”.

Em mensagem recente encaminhada a toda a tropa, o Comandante Geral se demonstrou sensível as manifestações que busquem a manutenção dos direitos já adquiridos e informou que já repassou ao Governador as preocupações com os parcelamentos de salários, a reposição salarial pela perda inflacionária e o pagamento do 13º salário.

Porém, até o momento o Governador Fernando Pimentel não se manifestou.

Mesmo com a dificuldade financeira apresentada pelo Estado, os militares esperam do Governador uma resposta para as demandas apresentadas pela classe.

Várias entidades de classe e autoridades, como o Sub Tenente Gonzaga, Deputado Federal, já confirmaram presença na audiência pública.



O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon