Possibilidade da decretação do estado de calamidade e atraso no repasse do ICMS aos municípios preocupam servidores de MG

Após a declaração dada pelo Secretário da Fazenda, José Afonso Bicalho, de que o Estado de Minas Gerais está próximo de declarar "estado de calamidade", haja vista o déficit projetado de R$ 25 bilhões até 2017  e agora o atraso histórico (nunca ocorrido antes) do repasse de 25% do valor do ICMS que é devido aos Município, os servidores do Estado de Minas Gerais acenderam o sinal de alerta.

Confira também a reportagem: Minas também ameaça decretar estado de calamidade

A Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais (SEF-MG) informou que mais de 50% dos valores referentes aos repasses do ICMS foi depositado na terça-feira (21/09), data limite para o vencimento. O restante seria pago nos próximos dias aos municípios. O governo estadual admitiu o problema e justificou que ele ocorreu “em função das dificuldades financeiras enfrentadas pelo Estado”.  


Os salários que estão parcelados desde o começo do ano, estão sem perspectiva de ter os pagamentos normalizados, além disso o reajuste do funcionalismo, que tem data-base em 1º de outubro também não tem previsão de acontecer. Se é que vai acontecer, pois até o momento o Governo do Estado não anunciou o possível reajuste dos salários pela perda inflacionário do último ano. A perda inflacionária do salário no último ano (2015) chega a 10,67%, com base no Índice de Preços ao Consumidor - Amplo (IPCA), informado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


Com as dificuldades enfrentadas pelo Estado de Minas Gerais, dado a baixa na arrecadação e o aumento das dívidas, somado à crise financeira em que atravessa o País, o pagamento do 13º Salário dos Servidores do Estado é uma incógnita. 

Os servidores do Estado de Minas Gerais aguardam no próximo mês a definição do Governo sobre a continuidade ou não do parcelamento dos salários (que tem previsão até outubro) e sobre o índice de reajuste dos salários para a reposição das perdas pela inflação.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon