PF combate câmbio paralelo e evasão de divisas em Belo Horizonte

O objetivo da operação é identificar as pessoas que promoveram a saída de recursos para fora do país por meio de doleiros

Fernanda Penna Borges - Estado de Minas

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, em Belo Horizonte, a “Operação Mercado Paralelo”, para reprimir atividades de câmbio ilegal de moeda estrangeira, lavagem de ativos e evasão de divisas, pelo mecanismo conhecido por “transferências de cabo, ou dólar cabo”, que são “operações de remessas ilícitas de recursos ao exterior (ou do exterior), mediante conhecida técnica de compensação paralela”. 

Ao todo, a PF vai cumprir quatro mandados de busca e apreensão, bem como de sequestro de bens e valores, todos expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária de Minas Gerais. As buscas objetivam a arrecadação de bens, valores e veículos adquiridos com as práticas criminosas, além de localizar documentos e mídias que possam aclarar e robustecer os indícios já colhidos. 

Segundo a PF, as investigações vêm sendo desenvolvidas há quatro meses, o que possibilitou a identificação do 'modus operandi' e o alcance da participação de cada um nas atividades ilícitas. A PF também informou que na sequência da ação, as pessoas (empresários e outros) que promoveram a saída de recursos para fora do país por meio desses doleiros, sem a obediência aos normativos legais, serão devidamente identificadas, interrogadas e indiciadas pelos crimes de evasão de divisas e sonegação fiscal, cujas penas poderão chegar a onze anos de prisão.

As penas somadas, em virtude de todos os delitos praticados pelos investigados, poderão alcançar até vinte anos de prisão, já que o exercício das atividades de câmbio e distribuição de valores é necessária a autorização expressa do Banco Central do Brasil, sob pena de se incorrer nos crimes previstos na Lei do Colarinho Branco (lei 7.492/86) e Lavagem de Capitais (Lei 9.613/98). 

O balanço final da operação será divulgado ainda na manhã desta terça-feira pela Polícia Federal.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon