Cerco a policiais militares grevistas gera conflito violento em Salvador


Thaíne Belissa - Estado de Minas

 (LUCIO TAVORA/AGENCIA A TARDE/AE )

O cerco do Exército aos policias militares reunidos em greve na Assembleia Legislativa em Salvador gerou um conflito violento nesta segunda-feira. Cerca de 600 homens do Exército foram ao local fazer o isolamento do prédio para que a Polícia Federal cumprisse os 11 mandados de prisão contra grevistas que ocupam a Casa Legislativa desde o último dia 31.

Um grupo de militares e familiares resistiram à ação e foram atingidos por balas de borracha e spray de pimenta.

Saiba mais...
Além do Exército, homens da Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar estão nas proximidades da Assembleia. Segundo o tenente-coronel Cunha, responsável pela área de Comunicação do Exército, depois do isolamento da área, os mandados de prisão vão ser cumpridos.

O pedido para a desocupação do prédio da Assembleia foi feito no domingo à tarde pelo presidente da Casa, deputado Marcelo Nilo, ao general G.Dias. Nilo disse que "os trabalhos legislativos precisam voltar à normalidade e que a Assembleia não pode ser usada como abrigo para foragidos da Justiça". O deputado falou ainda que o pedido partiu dele mesmo, e não do governador.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon