Sobe para 12 o número de mortes por causa da chuva em Minas


João Henrique do Vale - Estado de Minas

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) confirmou na tarde desta sexta-feira que 12 pessoas já morreram em Minas Gerais em decorrência da chuva. As últimas vítimas computadas no boletim do órgão, foi de um casal de Governador Valadares, na Região do Rio Doce, e dois jovens mortos em Nova União, no Triângulo Mineiro, e Guaraciaba, na Zona da Mata. O número de cidades em situação de emergência subiu para 99.

Na manhã desta sexta-feira, o casal Nilson Jânio Andrade, de 43 anos, e Marlene Pinheiro da Silva, morrera soterrados em Governador Valadares. Um temporal atingiu a cidade na madrugada desta sexta-feira, causando o deslizamento de um barranco de quase 30 metros de altura sobre a casa do casal. Uma criança de 11 anos conseguiu escapar e a adolescente Sabrina Miranda da Silva, 16 anos, foi retirada por vizinhos dos escombros com vida.


Em Guaraciaba, também na Zona da Mata, Edmar João Vila, 23, foi arrastado pelas águas do Rio Piranga durante o alagamento de uma rua. Segundo a Cedec, o corpo foi encontrado com os chinelos nas mãos, indicando que a vítima retirou o calçado para tentar atravessar a via inundada.

Confira imagens da destruição em MG


Flávio Adão Silva, 24, morreu em União de Minas, no Triângulo Mineiro ao ser arrastado pelas águas do Rio Arantes quando tentava cruzar o leito cavalgando. O nível do rio estava alto por causa da chuva.

Junto com Flávio estava Vanis Silêncio Ferreira, que ainda não foi encontrado. Também está desaparecida Rita Vieira de Souza, que foi arrastada, dia 30 de dezembro, pelas águas do Córrego dos Bambus em Santo Antônio do Rio Abaixo, Região Central de Minas. Desde o início do período chuvoso, 11.870 pessoas ficaram desalojadas no Estado e 876 desabrigadas.