Número de homicídios cresce 28% na Grande BH

Vespasiano e Sabará lideram aumento no número de assassinatos em 2011


TONINHO ALMADA/ARQUIVO
homicídio
Grande parte das mortes na RMBH estaria ligada à venda e consumo de drogas


Os oito municípios mais violentos da Região Metropolitana de Belo Horizonte registraram no ano passado aumento de 28,8% no número de pessoas assassinadas, na comparação com 2010. Em Vespasiano, o crescimento foi de 74,4%, passando de 47 homicídios em 2010 para 82 no ano passado. A constatação levou as polícias Civil e Militar a desenvolverem um plano de ação emergencial para tentar prender os autores das mortes.

Em Sabará, o número de assassinatos aumentou 62,2% em 2011, segundo maior crescimento registrado na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em 2010, foram assassinadas 45 pessoas em Sabará, enquanto no passado este número chegou a 82. As outras cidades com maior crescimento no número de homicídios foram Betim (50,2%) e Santa Luzia (50%).

Em Belo Horizonte, o crescimento no número de homicídios foi de 21,9% de 2010 para 2011. Em todo o ano passado 782 pessoas foram assassinadas, contra 641 no ano anterior. A maioria das mortes estaria ligada ao tráfico de drogas. De 2009 para 2010, a capital registrou queda de 11,9% no número de homicídios.

Os dados sobre homicídios nos municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte foram postados na página da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) e depois foram retirados, curiosamente logo depois que o Hoje Em Dia fez contato com a assessoria de imprensa do órgão.

Os números estariam sendo analisados pelos responsáveis pela segurança pública do Estado. A Seds não quis comentar sobre o aumento do número de homicídios, alegando que os dados ainda não foram consolidados.

A atuação de quadrilhas de tráfico de drogas do Rio de Janeiro em Betim, Sabará, Vespasiano e Santa Luzia é uma das explicações para o aumento do número de homicídios nestas cidades. Os bandidos expulsos dos morros cariocas estariam atuando na Região Metropolitana de Belo Horizonte, mas também há casos de traficantes de Belo Horizonte que instalaram bases de atuação em outras cidades.

A situação de Betim é a que mais preocupa a Secretaria de Estado de Defesa Social. No ano passado, 254 pessoas foram assassinadas, superando os números de 2008, quando a cidade registrou 232 assassinatos. Segundo o serviço de inteligência da Polícia Militar, na cidade há uma guerra entre gangues que disputam pontos de venda de drogas. Já o município de Contagem, que tem o dobro da população de Betim, registrou no ano passado 247 assassinatos, recorde desde 2008, quando este número chegou a 226.

Em Belo Horizonte, o Barreiro, principalmente nas proximidades de Betim e Contagem, foi a região que teve maior número de homicídios. “As pessoas que são assassinadas são as que compram drogas e não pagam e os grupos que tentam invadir o espaço dos traficantes que estão instaladas em uma determinada região”, explicou o advogado Renato Firmo, especialista na área criminal.
 
arte homicídios



O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon