Devemos aprender com os militares do Maranhão

Maranhão: Roseana não cumprirá acordo; é hora dos policiais deflagrarem greve!


Os Policiais Militares e Bombeiros do Maranhão já devem, a partir de hoje, se mobilizarem para iniciar a deflagração de uma greve por tempo indeterminado. O acordo prometido pelo governo do Estado com os militares não será cumprido.

De acordo com os jornalistas Marco D’Eça e Luís Cardoso, a governadora Roseana Sarney (PMDB) decidiu, ontem, que a política salarial de policiais e bombeiros militares seguirá no bojo de um projeto geral para todo o funcionalismo, a ser encaminhado à Assembléia, até o início do ano que vem. Ou seja, sem data definida e fora do prazo estipulado no acordo.


Em tom ameaçador, Roseana mandou um recado aos policiais e bombeiros: não tolerará movimentos como a inusitada “greve militar” e punirá os insurgentes com rigor, inclusive solicitando a presença da Força Nacional.

Vale lembrar que durante reunião realizada no último dia 8 entre os representantes das categorias com o presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (PMDB), e parlamentares da Casa, os policiais militares e os bombeiros suspenderam o movimento de paralisação até o próximo dia 23 de novembro.

Na ocasião, ficou o compromisso do governo, intermediado pela Assembleia, de apresentar uma proposta de acordo até o dia 23 deste mês, o que suspendeu temporariamente a paralisação. Tudo balela, lorota. Foram todos enganados. Atitude típica de Roseana, que nunca foi afeita a cumprir acordos e muito menos o que diz.

Assim que chegou de férias, Roseana logo descumpriu o acordo de que livraria os militares de qualquer punição. Dois tenentes-coronéis do Corpo de Bombeiros do Maranhão – Manoel Alves da Cunha e Celso Jesus Moraes Vargas – foram exonerados de seus cargos de comando.

Agora diz que não vai apresentar proposta nenhuma na próxima quarta-feira que garanta reposição das perdas salariais no orçamento do próximo ano. Ainda por cima debochou e desmereceu o papel dos policias e militares ao declarar que vai convocar a Força Nacional, como se os militares não tivesse serventia nenhuma. Um tremendo desrespeito. Que fique a lição de não mais confiar neste governo.

O Comando de Paralisação da PMMA, composto de 17 das Associações Militares, já deve de agora se reunir e organizar os procedimentos a serem tomados para paralisar as suas atividades operacionais e administrativas como forma de exigir da governadora o respeito que a categoria merece. Este blog está à disposição dos policiais militares e bombeiros. Quem quiser se manifestar ou desejar mandar ou informações pode entrar em contato através dos e-mails: johncutrim@hotmail.com e johncutrim@jornalpequeno.com.br ou pelo telefone (98) 8811-9540.


Reivindicação dos policiais e bombeiros:

1 – Reposição das perdas salariais de 2009 a 2011; 30% mais TR (inflação acumulada do ano anterior) em cada ano de 2012 a 2015 previsto no PPA (Plano Plurianual); cumprimento do escalonamento transitado e julgado na 4 Entrância da vara de Fazenda;

2 – Fim do Regulamento Disciplinar do Exército (RDE) e implantação do Código de Ética Profissional dos Policiais e Bombeiros Militares;

3 – Modificação dos critérios de promoção e reorganização do quadro de oficiais e oficiais especialistas com o quadro de oficiais técnico complementar (QOTC);

4 – Definição da jornada de trabalho em 44 horas semanais, adicional noturno e pagamento de hora extra;

5 – Anistia a todos os participantes do movimento reivindicatório, inclusive as lideranças do movimento;

6 – Eleição do Comandante Geral da PM/BM em uma lista tríplice;

7 – Criação de uma Comissão Permanente de Negociação, com a participação de todas as entidades militares;


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon