Defesa Social promove III Encontro Estadual da Política de Semiliberdade

A Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds), por meio da Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas (Suase), realizou nesta segunda-feira (28) o III Encontro Estadual da Política de Semiliberdade. Nesta terceira edição o tema central foi a Responsabilidade, abordada sob três eixos: Adolescente, Instituição e Sociedade. O objetivo do encontro foi reunir os profissionais que atuam na esfera das medidas socioeducativas para discussão e aprimoramento da prática, dentre eles diversos servidores da Suase e representantes do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública.
Na abertura do evento o subsecretário de Atendimento às Medidas Socioeducativas, Ronaldo Araújo Pedron, destacou a importância dos momentos de reflexão e troca de experiências sobre as medidas socioeducativas. Pedron ressaltou o empenho do Governo de Minas no cumprimento das medidas de semiliberdade. “Alguns estados trabalham com a semiliberdade no mesmo espaço dos centros socioeducativos, como se fosse uma progressão da restrição de liberdade, o que não ocorre em Minas Gerais”.
O encontro é realizado no auditório do BDMG, em Belo Horizonte, onde será lançado o primeiro livro sobre a experiência da semiliberdade no Estado de Minas Gerais – Regra Aqui Pra Que? - uma síntese do trabalho realizado em 2010 pela Diretoria de Medidas de Semiliberdade, da Subsecretaria de Atendimento às Medidas Socioeducativas.
Resultados visíveis

Graziela Maria de Souza, diretora geral da Casa de Semiliberdade São João Batista, localizada em Belo Horizonte, relata que por diversas vezes já identificou mudanças positivas nos adolescentes da unidade. “O juiz determina o cumprimento da medida de semiliberdade, mas não a sua duração. Isto fica a cargo da equipe da Casa, com um acompanhamento constante do Poder Judiciário. O contato direto com o jovem possibilita avaliar sua evolução e isto é muito bom”, explica Graziela.
A Secretaria de Estado de Defesa Social dispõe de 11 casas de semiliberdade, sendo oito em Belo Horizonte, e três no interior do estado (Governador Valadares, Juiz de Fora e Muriaé), com um total de 179 vagas.
Fonte: Agência Minas


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon