Políticas públicas de incentivo a criminalidade ?!?!?!.

Segundo dados do Governo em 2003 a classe média brasileira correspondia a 40% da população, proporção que saltou nesse ano para mais de 52%. Esse índice corresponde a parte da população brasileira que possui rendimento familiar superior a R$ 1.000,00.

Até aí excelente notícia, o fato curioso é que ser bandido hoje se tornou uma opção vantajosa para aqueles que ainda não conseguiram alcançar a tão sonhada posição “classe média” brasileira.

Mas, porque? Você já parou para pensar que grande parte da população brasileira ainda vive com menos de dois salários mínimos para sustentar a sua família?

Com as políticas de governo que visam A VALORIZAÇÃO DO BANDIDO nosso país está andando na contra mão de direção.

Passemos à análise fria da situação.

Política de valorização do Governo Federal – Bolsa Reclusão – Valor do benefício R$ 981,15 por mês.

Enquanto a população carcerária brasileira cresceu 17% nos últimos quatro anos, o valor gasto pelo governo com o pagamento do auxílio-reclusão a famílias de presos aumentou 60% no mesmo período. Os dados são dos ministérios da Justiça e da Previdência Social.

Em 2006, quando a população carcerária era de 401,2 mil presos no País, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) destinou R$ 108,4 milhões a 18,1 mil famílias de presos, de acordo com dados do Boletim Estatístico da Previdência Social (Beps).

Em 2009, R$ 174,10 milhões em benefícios foram pagos a 26,6 mil depedentes de presidiários. Segundo o Ministério da Justiça, o Brasil tinha 469,8 mil presos no primeiro semestre do ano passado.

A média do INSS paga às famílias de apenados com direito ao benefício foi de R$ 506,65 em dezembro de 2009. No entanto, os valores oscilam de acordo com a contribuição de cada presidiário no período anterior à detenção. Em janeiro deste ano, por exemplo, a maior média foi de R$ 981,15, no Amazonas.

É isso mesmo, o Governo paga a família do recluso R$ 981,15 por mês, pelo tempo em que o criminoso estiver cumprindo pena.

Calma que ainda tem mais.

Política de valorização do Governo do Estado de Minas Gerais – Bolsa Crack – Valor do Benefício R$ 900,00 por mês.

Esse auxílio foi criado pelo Governo de Minas Gerais com o objetivo de ajudar a família dos dependentes químicos a pagarem por seus tratamentos ou internações.

Até aí tudo bem, são políticas de governo realmente dignas de aplausos, mas, como disse anteriormente vamos fazer uma análise “fria” da situação.

Se hoje você tiver “Deus nos livre e guarde”, pois não desejo isso nem mesmo para o meu pior “inimigo”, mas, se você tiver dois filhos, um usuário de drogas e outro ladrão, você poderá ter uma renda mensal de mais de R$ 1.800,00 (morando em Minas Gerais, pois estamos analisando as políticas aplicadas no Estado de Minas Gerais); mais de 3 salários mínimos.

Isso mesmo, um pai aposentado que deu duro a vida inteira para educar seus filhos, para mantê-los fora do mundo do crime, tem um rendimento mensal de um salário mínimo.

Pai que passou a vida inteira no “buteco”, não se preocupou com a educação de seus filhos poderá ter um rendimento mensal de mais de R$ 1.800,00. PARABENS HOJE VOCÊ PERTENCE A CLASSE MÉDIA BRASILEIRA!

Desse jeito fica difícil!

Temos que valorizar a EDUCAÇÃO DE NOSSO POVO, pois, só assim iremos alcançar o verdadeiro progresso de nossa sociedade.

Enquanto houver essas políticas de “valorização da criminalidade”, com incentivos a descriminalização e a impunidade estaremos enxugando o chão com a torneira aberta.

Acorda Governo, o caminho é a E D U C A Ç Ã O!

Por Walyson Pinheiro


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon