Rendido, agente fica só de cueca

Dois presos da delegacia de Passa-Tempo agrediram e algemaram o homem, soltaram mais dois detentos e fugiram



Uma ação ousada de dois presos terminou com a fuga de quatro dos sete detentos da delegacia de Passa-Tempo, cidade do Centro-Oeste de Minas, na noite de anteontem. Eles renderam o agente penitenciário de plantão e o deixaram, ferido e só de cuecas, algemado em uma das celas. O homem gritou por socorro por duas horas e meia até ser ouvido e libertado. Os outros três presos não quiseram fugir.

Por volta das 19h, dois detentos renderam o agente penitenciário Wesley da Silva Ribeiro, de 24 anos, quando ele conduzia, até a cela, um preso albergado - que passa o dia na rua e dorme na cadeia. Os homens agrediram o agente com um vergalhão de ferro, tiraram sua roupa, roubaram seus dois celulares e o deixaram algemado em uma cela vazia. Antes de escaparem, eles ainda liberaram outros dois homens, que estavam em outra cela, furtaram o celular da carceragem e duas armas: uma espingarda calibre 12 e um revólver calibre 38.
Adriano de Oliveira Almeida, que cumpria pena por tráfico, Wellington Silva Santos, acusado de homicídio, além de Eli Santos de Jesus e Rogério dos Santos Almeida, que estavam presos por roubo e tráfico, fugiram pelos fundos. Todos estavam detidos há menos de seis meses. "Um dos homens ficou aqui só dois dias", contou o agente penitenciário Tiago Moura Marcos. Segundo Moura, agora há apenas três presos na delegacia do município.

No total, cinco agentes se revezam na vigilância da carceragem. No momento da ocorrência, apenas Ribeiro estava de sentinela. Ele não trabalhava armado. "Os detentos entraram em luta corporal com ele, que não tem porte de arma porque é contratado, e não concursado. Ainda não sabemos como os presos conseguiram a barra de ferro", explicou o soldado Tiago Fonseca.

Por volta das 21h30, uma vizinha escutou os gritos de socorro do agente e acionou a Polícia Militar. Para entrar na delegacia, os PMs precisaram arrombar a porta principal, que estava trancada. "Encontramos o agente bastante ferido, com um corte profundo na cabeça e só de cueca, além dos outros presos, que não quiseram fugir", relatou Fonseca.

Como o delegado de Passa-Tempo está de férias, a Polícia Civil de Campo Belo assumiu as investigações. Segundo a delegada Adriene Lopes de Oliveira, foram feitas buscas por toda a região, em parceria com a Polícia Militar, mas os fugitivos não foram encontrados. "Nossas buscas ficaram prejudicadas porque passou um tempo grande, quase três horas, entre o fato e a comunicação à polícia. Como os fugitivos estão armados, também podem ter assaltado algum veículo", relatou Fonseca.

Medicado
O agente penitenciário Wesley da Silva Ribeiro foi levado para o Hospital São Gabriel, em Passa-Tempo, medicado e liberado. Por causa do ferimento feito pelos presos com um vergalhão de ferro, ele tomou 20 pontos na cabeça.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon