Polícia monitora ligações de detentos e prende quadrilha de traficantes


Suspeitos traziam drogas do Paraná para Minas Gerais. Um dos membros do bando é apontado como mandante de queima de coletivos em Contagem

Grupo foi detido no sábado nos bairros Confisco e São Pedro, na Região de Venda Nova (Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
Grupo foi detido no sábado nos bairros Confisco e São Pedro, na Região de Venda Nova


A Polícia Civil apresentou, na manhã desta sexta-feira, seis pessoas suspeitas de integrar uma quadrilha interestadual de tráfico de drogas. A apresentação foi no Departamento Antidrogas, no Bairro Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Segundo a polícia, eles chegaram até os suspeitos depois de monitorar ligações de detentos durante as investigações da queima de ônibus em Contagem, no mês de maio.

Um dos integrantes da quadrilha, Mailton Ferreira Soares, é apontado como o mandante do toque de recolher e queima de coletivos no bairro Confisco, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em maio deste ano. Ele e mais cinco membros da grupo foram presos no sábado, nos bairros Confisco e São Pedro, na Região de Venda Nova.

O grupo transportava 30 quilos de crack por vez e acondicionava a droga em compartimentos camuflados dos veículo (Paulo Filgueiras/EM/DA Press)
O grupo transportava 30 quilos de crack por vez e acondicionava a droga em compartimentos camuflados dos veículo
A quadrilha de traficantes era especializada na distribuição de crack proveniente de Foz do Iguaçu, no oeste do Estado do Paraná, para os bairros Confisco, em Contagem, São Benedito, em Santa Luzia, e Betim, na região metropolitana da capital mineira. A líder da quadrilha, Luciana Helena Rodrigues Cunha, é ainda apontada como a principal fornecedora de crack na Avenida Afonso Pena, na região central de Belo Horizonte.

Os outros presos são o taxista, Marcos Antônio Campos, que , segundo a polícia, evava Luciana às bocas de fumo para entregar a droga, Cláudio Camargo da Silva, que negociava a droga com o fornecedor no Paraná, Thiago Henrique, que fazia o transporte do crack de Foz do Iguaçu, e Euler Pereira Santos.

O grupo transportava 30 quilos de crack por vez e acondicionava a droga em compartimentos camuflados dos veículos. A malha viária usada por eles era conhecida como Rota Caipira e cruzava os Estados do Paraná, São Paulo e Minas Gerais. Foram apreendidos 25 quilos de crack, ácido bórico, veículos e motocicletas.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon