Polícia desmantela quadrilha e apreende 62 quilos de maconha em Juiz de Fora


Três homens foram presos, mas a polícia vai continuar as investigações na tentativa de localizar um casal que estaria envolvido no esquema de tráfico de drogas
Os 62 quilos de entorpecentes foram apreendidos em um sítio no Bairro Santo Antônio (Polícia Civil/Divulgação)
Os 62 quilos de entorpecentes foram apreendidos em um sítio no Bairro Santo Antônio


Uma operação da Polícia Civil (PC) de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, terminou com a apreensão de 62 quilos de maconha na quarta-feira. Os três homens detidos durante a ação foram levados para o Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) da cidade nesta quinta. De acordo com a polícia, as investigações começaram há dois meses, após uma denúncia informando que um carregamento de quatro toneladas de maconha havia entrado na cidade, sendo que metade do carregamento teria seguido para o Rio de Janeiro. 

A Polícia Civil começou um rastreamento da droga através da identificação dos possíveis receptores e distribuidores. Os 62 quilos de entorpecentes faziam parte do carregamento e foram apreendidos em um sítio no Bairro Santo Antônio. Segundo a PC, o proprietário do sítio, Willer Soares Marcelino, 30 anos, foi flagrado pelos policiais ao sair do local numa caminhonete. Cinco tabletes de maconha estavam na carroceria do veículo dentro de uma sacola. Em depoimento nesta madrugada, ele disse que apenas guardava o entorpecente para outro homem e que receberia R$ 2 mil pelo serviço de armazenamento e entrega. As 62 barras de maconha foram localizadas dentro de um cômodo do sítio, além de diversas embalagens plásticas vazias e duas balanças. Uma jovem de 28 anos, da cidade de Três Rios (RJ), estava com Willer no momento da prisão. Ela foi ouvida e liberada pois não teve sua participação confirmada. 

A equipe da Polícia Civil seguiu para a casa de Ronaldo Muler Pinheiro, 34, no Bairro São Sebastião, onde foram apreendidos R$ 10 mil em dinheiro, anotações referentes à movimentação do tráfico, duas facas com resquício de pó branco semelhante à cocaína, uma balança, crack e embalagens. Outra equipe se deslocou ao Hospital de Pronto Socorro, no centro da cidade, onde prenderam o moto entregador Márcio de Castro Costa, de 22 nos. Conforme a Polícia Civil, ele foi apontado nas investigações como responsável pela guarda e entrega da droga de Ronaldo. Na residência dele, na Rua Dr. Antônio Souza Ferreira, Progresso, os policiais apreenderam mais de 300 gramas de cocaína.

A operação só terminou nesta manhã com a ratificação da prisão em flagrante pelo crime de tráfico de drogas dos três conduzidos, mas, de acordo com a polícia, as investigações vão continuar até a localização de um casal, já identificado com parte da quadrilha e que não foi encontrado, e do restante do carregamento de maconha investigado pela equipe Grupo Tático Operacional (GTO) de Tóxicos.

Fonte: Estado de Minas


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon