PF transfere oito suspeitos de irregularidades no Ministério do Turismo


Acuasados ficarão à disposição da Justiça no Amapá


Publicação: 09/08/2011 19:36 Atualização: 09/08/2011 19:45

Oito suspeitos de participação no esquema de desvio de verbas do Ministério do Turismo, presos hoje (9) em Brasília, foram transferidos para Superintendência da Polícia Federal no Amapá, em Macapá, onde ficarão à disposição da Justiça. Entre os detidos, está o secretário executivo do ministério, Frederico Silva da Costa.

Um ônibus escoltado por agentes federais deixou a Superintendência da PF em Brasília por volta das 17h. Os suspeitos embarcaram em um avião no hangar da corporação, próximo ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek.

De acordo com o último balanço da PF, até o momento 35 pessoas foram presas - 19 tiveram prisão preventiva decretada pela Justiça e 16, prisão temporária. Sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos durante a operação. Os agentes apreenderam documentos e computadores que serão analisados na próxima fase da investigação.


Em São Paulo, na casa do diretor executivo do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi), Luiz Gustavo Machado, foram apreendidos R$ 610 mil em espécie. A residência também é usada como sede do Ibrasi.

A Operação Voucher, deflagrada na manhã de hoje (9), investiga o desvio de recursos públicos destinados ao Ministério do Turismo por meio de emendas parlamentares.

A investigação começou em abril, depois que um levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU) detectou irregularidades no contrato firmado entre o Ministério do Turismo e o Ibrasi.

O valor do convênio fraudado é de R$ 4,4 milhões. A PF estima que dois terços do recursos tenham sido desviados pelo grupo.

Fonte: site do Jornal Estado de Minas


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon