Organizadora da festa "American Pie" se apresenta à polícia

 (Euler Junior/EM/DA Press)

A fotógrafa Cristiane Reynaldo Ferreira, de 35 anos, promoter da festa intitulada “American Pie”, presta depoimento na manhã desta quarta-feira na Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), em Belo Horizonte.
A mulher, que é investigada por suspeita de aliciamento e corrupção de menores, chegou à delegacia com cinco minutos de antecedência e estava na companhia da filha de 15 anos e de dois advogados. Patrícia não quis falar com a imprensa, mas um de seus defensores, o advogado Jair Colen, negou todas as acusações, principalmente as de que as festas promovidas pela fotógrafa eram regadas a bebidas alcoólicas, drogas e sexo. “Ela é mãe e nunca faria isso. Nas festas que aconteceram, sua própria filha participou, juntamente com outros adolescentes, mas não havia consumo de álcool e drogas, muito menos sexo”, afirmou.
Quanto à demora para se apresentar - a fotógrafa foi intimada pelo delegado Fábio Salles, mas não compareceu -, o advogado disse a orientação foi passada por ele mesmo. “Ela tinha um compromisso de viagem e não fugiu. Eu ainda pedi para que ela se mantivesse afastada até que a defesa estudasse o caso”, afirma.
Cristiane Reynaldo Ferreira estaria à frente da organização do evento promovido em uma casa de festa no Bairro Santa Lúcia, Região Centro-Sul da capital, no último dia 22, na qual adolescentes consumiram bebidas alcoólicas (vodca com energético e chope) e drogas (cocaína, maconha e loló). No momento da festa, a Polícia Militar foi acionada pelo pai de uma menina de 13 anos. Representantes do Juizado determinaram o fim do evento assim que constatarem as irregularidades. O registro foi encaminhado para a Vara Cível, do Juizado da Infância e Juventude. Ao todo, 51 menores foram conduzidos ao Conselho Tutelar. 

Além dos depoimentos da fotógrafa Cristiane Ferreira e da filha dela, o delegado Felipe Salles pretende ouvir também as pessoas que trabalharam na “American Pie”, além dos policiais militares que atuaram na ocorrência e os representantes do Juizado da Infância e Juventude. O delegado já solicitou ao Conselho Tutelar e a Vara Cível do juizado o relatório sobre os acontecimentos na festa. Caso a Polícia Civil confirme as denúncias contra Cristiane, ela poderá ser indiciada e responder na Justiça por aliciamento e corrupção de menores, com base em artigos no Estatuto da Criança e ao Adolescente (ECA).
Fonte : Site do Jornal Estado de Minas


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon