Força-tarefa é montada para evitar incêndios no Parque Estadual da Serra do Rola-Moça


Agência Minas
O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) está redobrando a vigilância sobre as causas dos incêndios florestais que atingem o Parque Estadual da Serra do Rola-Moça, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Uma força-tarefa foi montada para reduzir as ocorrências, principalmente, diante da perspectiva de prolongamento do período de escassez de chuvas até outubro.

Em reunião realizada no parque foram definidas as primeiras ações desse trabalho que reúne organizações não governamentais, empresas, condomínios, prefeituras, bombeiros e polícias civil militar. Entre as medidas que serão adotadas está a instalação de placas educativas ao longo das estradas interna e das que dão acesso ao parque, alertando sobre os perigos do fogo e informando o que fazer no caso de identificar um foco de incêndio. Também serão realizadas atividades de sensibilização com as pessoas que passam pelo Parque.
Um grupo será formado com representantes das diversas empresas e condomínios que existem na região do Parque para garantir vigilância em tempo integral, bem como será reforçado o policiamento nas imediações do parque. A diretora de Prevenção e Combate a Incêndios Florestas e Enchentes da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Zenilde das Graças Viola, destaca o interesse dos condomínios do entorno do Parque para participar do esforço.
A subsecretária de Controle e Fiscalização Ambiental Integrada da Semad, Marília Carvalho de Melo, afirma que trabalhar com as comunidades do entorno das unidades de conservação é a maneira mais eficaz para identificar as causas e eliminar o perigo do fogo. “Por determinação do secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Adriano Magalhães, iremos intensificar as ações para que as pessoas que transitam no parque sejam parceiras na prevenção”, afirma.
O parque
O Parque Estadual da Serra do Rola-Moça é o terceiro maior parque em área urbana do país. Está localizado nos municípios de Belo Horizonte, Nova Lima, Ibirité e Brumadinho e possui 3.941,09 hectares. Sua localização em área urbana o torna um dos mais vulneráveis aos incêndios florestais, muitos deles iniciados de forma criminosa. Em 2011, já foram registradas 21 incêndios no Parque e no seu entorno que atingiram uma área de 332,50 hectares.
Juntamente com as Estações Ecológicas de Fechos e Cercadinho, o parque está situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, rico em campos ferruginosos e de altitude. As unidades de conservação são habitat natural de espécies da fauna ameaçadas de extinção como a onça parda, a jaguatirica e o lobo-guará.
As unidades de conservação também abrigam importantes mananciais de água, declarados pelo Governo Estadual como Áreas de Proteção Especial. Eles garantem a qualidade dos recursos hídricos que abastecem parte da população da Região Metropolitana de Belo Horizonte.


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon