Eu mato de novo se for preciso", diz garçom que matou e esquartejou cabeleireiro no Sul de Minas

O suspeito fritou parte do corpo da vítima e entregou para um cachorro comer


O garçom Fernando Henrique Alves, 20 anos, que assassinou cruelmente o cabeleireiro Gilvan Firmino Ferreira, de 25, em Alfenas, no Sul de Minas Gerais, não se mostrou arrependido por ter cometido o crime. Durante apresentação nesta sexta-feira feita pela polícia, ele mostrou frieza e disse que é usuário de drogas. “Eu uso crack, pó (cocaína) e maconha. Tinha usado muita droga no dia e estava com raiva dele. Eu mato de novo se for preciso”, afirmou. 


O crime aconteceu na madrugada de quinta-feira no centro da cidade. Segundo a polícia, os dois estavam na garagem da casa do cabeleireiro usando drogas e consumindo bebida alcoólica. Gilvan, que é homossexual, teria tentado se aproximar do garçom, que não gostou e cometeu o crime. “Ele já tinha dito para a vítima várias vezes para cessar as investidas. Ele executou o rapaz com várias facadas dentro da residência e começou a cortar a vítima”, explica o delegado Leonardo Bueno Procópio. 


Após matar o cabeleireiro, Fernando começou a esquartejá-lo. O homem chegou a fritar parte do corpo da vítima. “Peguei um pedaço que tirei da barriga. Fritei e dei para o cachorro comer. Ele estava com fome”, ironiza o garçom. Fernando foi preso depois que uma vizinha da vítima viu sangue saindo de dentro da garagem da casa e chamou a polícia. Ele confessou o crime. 

Manifestação 

Integrantes do Movimento Gay de Alfenas fizeram uma manifestação nesta sexta-feira, em frente a casa da vítima para pedir justiça.


Fonte: Estado de Minas


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon