Polícia prende ex-guardas municipais que protestavam na Prefeitura de Belo Horizonte

Publicação: 27/07/2011 17:52 Atualização: 27/07/2011 19:38
Os ex-guardas foram presos em frente à sede da Prefeitura da capital (Cristina Horta/EM/D.A Press)
Os ex-guardas foram presos em frente à sede da Prefeitura da capital


Os dois ex-guardas municipais que protestavam acorrentados na escadaria do prédio da Prefeitura de Belo Horizonte foram presos na tarde desta quarta-feira. Eles foram retirados do local por policiais militares e levados para a 2ª Delegacia de Polícia de Civil.

Veja mais fotos das prisões


De acordo com a Associação dos Guardas Municipais da Região Metropolitana de Belo Horizonte, os policiais militares alegaram ao advogado da entidade que as prisões foram realizadas por uso indevido de uniforme e invasão e depredação do espaço público. Por sua vez, a assessoria de imprensa da Polícia Militar disse desconhecer o que motivou a ação.

A assessoria da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Patrimonial (SEMSEG) afirmou que apenas tomou conhecimento das prisões e também não tem maiores informações sobre os motivos da ação policial. Tanto a assessoria da PM quanto da SEMSEG não souberam dizer se foi expedido algum mandado judicial determinando a detenção dos ex-guardas.
 
Na noite dessa terça-feira, quando teve início o protesto dos três ex-guardas municipais, a SEMSEG informou que a PM havia sido notificada sofre o fato dos três manifestantes usarem o uniforme da instituição indevidamente. Renato Rodrigues da Conceição, Wellington José Nunes Cesário e Anderson Acássio foram demitidos da Guarda Municipal sendo obrigados a devolver os uniformes. Uma apuração interna foi instaurada na Guarda para averiguar o desvio de fardamento ou sua apropriação indébita.

Entenda o caso

Na edição dessa terça-feira do Diário Oficial do Município foi publicada a demissão de Wellington Cesário. O fato motivou Renato e Anderson a se juntarem a ele em protesto pelo que chamam de represália por parte da prefeitura. Os três alegam terem sido demitidos por denunciarem irregularidades dentro da própria Guarda Municipal.

Os três ex-guardas se acorrentaram e se instalaram na escadaria da sede da Prefeitura de Belo Horizonte, na Avenida Afonso Pena. Eles entraram em greve de fome e prometeram manter a manifestação por pelo menos três dias. Nesta quarta-feira, Anderson deixou o protesto. O motivo de sua desistência ainda não foi esclarecido.

Por meio de nota, a SEMSEG informou que Anderson foi demitido em 2007 por extrapolar suas funções e, ainda, por ter humilhado crianças em uma escola municipal, ato que teria sido notificado ao Ministério Público. Já Renato, demitido em 2010, e Wellington, demitido nessa terça-feira, foram desligados do serviço público sob alegação de desvio de conduta. Os três sofreram processo administrativo e, segundo a secretaria, tiveram garantidos o direito à ampla defesa.
 
Fonte: Site do Jornal Estado de Minas


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon