PF e GAECO desarticulam esquema de venda de armas que incluía cabo

Oito suspeitos de participação em um esquema de tráfico de armas e drogas na Região Metropolitana do Rio foram presos nesta terça-feira (26/07) durante a Operação Cartucheira. A prisão preventiva foi requerida pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, e os mandados de prisão, expedidos pela Vara Criminal de Itaboraí, foram cumpridos por agentes da Polícia Federal e do Ministério Público. O bando, segundo as investigações, tinha a participação do Cabo do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (BOPE) Mauro Lopes de Figueiredo, suspeito de desviar munição do arsenal da polícia, preso no último dia 20.

Luiz Araújo Paiva, Hallan Kardec de Oliveira Angelo, Demerval Fernandes Junior, Luiz Felipe Neves de Souza, Flávio Vinicius Sabino da Silva, Jonatan de Oliveira Quirino, Bruno Carvalho Gomes Pinto e Renato Muniz da Costa Freire foram presos, nesta terça-feira, nos Municípios de São Gonçalo, Itaboraí, Nova Iguaçu e no Complexo do Alemão.

De acordo com a investigação, Paiva atuava no Complexo do Alemão e, após a ocupação da área por forças de segurança, levou suas atividades criminosas para a região de Manilha. Também foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão, resultando na apreensão de munições e três veículos.

As prisões foram realizadas por agentes da Delegacia de Repressão ao Tráfico Ilícito de Armas (DELEARM) da PF, responsável pelas investigações, do Grupo de Apoio aos Promotores (GAP) de São Gonçalo. As Promotorias Criminais de Itaboraí também participaram da operação.

Entre os crimes pelos quais os presos foram indiciados estão tráfico de drogas, associação para o tráfico, comércio ilegal de armas de uso restrito, posse de munição e formação de quadrilha.
Investigação

Segundo as investigações, a quadrilha radicada em Itaboraí negociava armas de grosso calibre, munição e drogas como cocaína e crack com traficantes da Baixada Fluminense, da Mangueira e do Complexo do Alemão. A investigação começou a partir de informações sobre crimes cometidos na região de Itaboraí e já havia levado à prisão em flagrante quatro pessoas e à prisão temporária o policial do BOPE. A partir dos depoimentos e das provas colhidas, foram requeridas as prisões preventivas dos detidos e dos outros oito envolvidos.

O bando era liderado por Paulo Victor Petronilho Sampaio, o Gago, preso pela PF no dia 16. Além dele e do cabo do Bope, também já haviam sido presos Eduardo Henrique da Silva ('2D'), Jéssica Soares da Silva e Bruna Cristina de Araújo Monteiro. Alceli Coelho da Silva Junior, o Bicudo, está foragido.

Fonte: Jusbrasil


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon