Comando de Caça aos Criminosos de Colarinho (CCCC)


Jornalistas, cientistas políticos e estudiosos de todo o mundo não entendem os motivos pelos quais o povo brasileiro é leniente com a corrupção aguda que tomou conta da política brasileira. Ficam perplexos, principalmente, quando sabem que quase dois milhões de pessoas participam de uma passeata em defesa dos direitos dos gays, e outros milhares convergem para a marcha da maconha, e nem uma vivalma, ou pelo menos penada, foi capaz de levar uma dúzia apenas de pessoas para protestarem contra a corrupção que sagra os cofres públicos e condena boa parte do povo à fome e à miséria.
Não se questionam o exercício destes direitos, como bem reconheceu o STF. A questão é: por que tanta gente participa de eventos que não dizem respeito diretamente à vida da maioria, e simplesmente ignora por completo a roubalheira institucionalizada? Onde estão a dignidade e a vergonha destas pessoas? Será que existe alguma, já que o dinheiro roubado é nosso?
Perplexos, os principais cérebros do mundo nos observam, e a incógnita continua, ainda mais quando se sabe que duradoras ditaduras caem a cada dia, com o uso da internet e das redes sociais. Cenários inimagináveis há cinco anos tornaram-se realidade, como a derrubada de ditadores há décadas no poder. E o efeito dominó, via Twitter, Facebook e outras redes, continua. O anacronismo está sendo varrido para o fogo. Somos testemunhas da história — dos outros, diga-se de passagem.
Por aqui, aguarda-se com ansiedade a volta do sol forte, o desfile de corpos sarados, a nova safra de mulheres-fruta, a liberação da maconha e os casamentos gays. Ólogos e ólogas, que se consideram formadores de opinião, continuam batendo forte na polícia. Ir contra políticos corruptos é correr o risco de não receber gordas verbas para suas ONGs. Ficamos apenas com as noticias sobre a fenomenal capacidade dos políticos de aumentarem seu patrimônio, como o fez o neto do Brasil, o filho do filho do Brasil. Como se lembram, o netinho do Brasil ficou rico em um passe de mágica. Se a árvore genealógica for devidamente construída, talvez o novo milionário do Amazonas, com apenas 27 anos, seja seu primo. Pelo menos, os pais são amigos.
Só nos resta sonhar com a criação do CCCC, Comando de Caça aos Criminosos de Colarinho, uma entidade apartidária, movida pelas redes sociais. O lema da CCCC seria o que prescreveu o grande Capistrano de Abreu, "TODO BRASILEIRO É OBRIGADO A TER VERGONHA NA CARA". Sonhar ainda é possível, mesmo que não se viva para ver.
Por: Aurílio Nascimento


Fonte: Site do Jornal Extra


O formulário para comentários é publico, portanto seu conteúdo é de responsabilidade daqueles que postam. Os comentários aqui postados serão, assim que publicados, avaliados pelo administrador e se constatado de conteúdo impróprio ou que ofenda a moralidade ou os bons costumes será excluído.
Att,
Polícia PELA ORDEM

Emoticon